30 de Janeiro de 2018

Olímpia: Viagem no tempo para a Grécia Antiga

Viajar é um dos melhores investimentos que podemos fazer na vida. As experiências que adquirimos, a imersão cultural, a gastronomia, lugares incríveis… Eu amo viajar! E graças a Deus, as viagens só melhoraram depois que me casei. Talvez esse seja um dos motivos pelo qual eu amo estar casada. Acho que a viagem com a companhia certa ganha novas cores, concordam?

Hoje eu separei um destino super interessante para os casais que curtem destinos históricos. Espero que gostem!

O destino de hoje tem tudo a ver com os jogos olímpicos. Os primeiros jogos aconteceram em 776 a.C, na cidade de Olímpia, na Grécia. Duraram até 394 d.C – quando o imperador romano Teodosio I determinou seu cancelamento, por ser cristão.

Como você pode imaginar, foi esta cidade que deu o nome à competição que conhecemos atualmente e que acontece a cada 4 anos!

Eu cheguei até Olímpia de navio. Quer dizer, o navio atracou no porto de Katakolon e de lá nós pegamos um ônibus com guia (cerca de 20 euros por pessoa) até o museu arqueológico. Mas também da pra chegar de trem, de ônibus e de carro, saindo de Atenas.

No início, a olimpíada era um festival religioso para celebrar a deusa Reia, mãe de Zeus. Depois os pagãos passaram a adorar o próprio Zeus com uma celebração que durava 5 dias e acontecia a cada 4 anos. Durante o festival também aconteciam as competições – com lutas, corridas de cavalos e pentaltos (salto a distância, corridas, arremessos de disco e lançamento de dardos).

Depois que Teodosio I determinou o cancelamento dos jogos olímpicos, só tornamos a vê-lo em abril de 1896, já na era moderna. E as competições não mais se realizaram em Olímpia, mas sim no estádio de Atenas!

Com tantas relíquias históricas como monumentos, estátuas e objetos de bronze, Olímpia abriga um verdadeiro sítio arqueológico, um dos mais importantes de toda Grécia.

No Museu Arqueológico, composto das peças recolhidas do Sítio Arqueológico e aberto em 2004 para as olimpíadas de Atenas, é possível conferir toda a história dos jogos olímpicos em 6 idiomas e em ordem cronológica: desde 776 a.C até o início da era cristã.

Já no Sítio Arqueológico podemos caminhar pelo ginásio e templos construídos para adorar os deuses e ensinar filosofia para os atletas (afinal, foi aqui que nasceu tanto a filosofia quanto a civilização) e aí vai mais uma curiosidade: até hoje a área não foi totalmente descoberta!

Cada construção tem seu totem em 3 idiomas, com fotos e fatos históricos e, de todos, eu destaco o o templo de Hera (deusa da família), onde a tocha olímpica é acesa até os dias atuais, antes do início de cada olimpíada!

Fiz alguns vídeos no celular esse dia. Vou tentar resgatar pra compartilhar com vocês nos stories do @noivadodiaoficial :)

Museu Arqueológico de Olímpia
Passeio completo: 9 euros
Reduzido: 5 euros
Válido para o Museu Arqueológico + Sítio Arqueológico

Dias de entrada gratuita: Domingos, no período entre 1 de novembro e 31 de março e no primeiro domingo do mês, exceto julho, agosto e 27 de setembro, dia internacional do turismo. Quando o primeiro domingo for feriado, o segundo é dia de entrada gratuita.

Funcionamento no horário de verão: das 8h às 20h

 

Confira também:

Veneza: Guia de lua de mel – roteiro de 1 dia

Um dos lugares mais lindos que já conheci: Kotor

Deixe seu comentário

Os comentários serão moderados.

Siga no instagram @noivadodiaoficial

Juliana Nascimento
Ju Nascimento

Sou a Ju Nascimento, workaholic, advogada, rumo ao quarto ano de casada com meus 28 anos bem vividos (apesar de me considerar uma eterna noivinha). Enquanto algumas mulheres são viciadas em bolsas, sapatos, roupas, esmaltes e cartão de crédito, eu sou completamente viciada em casamentos! LEIA MAIS