13 de novembro de 2017

Se tudo não der certo, não desanime!

A melhor coisa depois de casar, é viajar em lua de mel. É curtir a viagem com seu marido e finalmente poder descansar depois de uma semana corrida resolvendo os ajustes finais do grande dia.

Para toda grande viagem é necessário um tempo de preparo e à medida em que você vai pesquisando sobre o seu destino, é normal que as expectativas aumentem. “O que vou encontrar quando chegar lá? Como vai ser?” – Tudo o que a gente desconhece gera expectativa mesmo, é normal.

Neste exato momento eu estou fazendo uma viagem relativamente longa, de 12 dias para ser mais exata. E refleti bastante antes de começar a escrever este post. Como eu poderia contribuir com quem está na fase de planejar a lua de mel? Seria muito fácil chegar aqui e dar dicas para vocês do que fazer em Madri, Veneza ou Bari, as cidades que conheci até agora. Existem centenas de blogs com conteúdos incríveis nesse sentido. Mas nenhum te prepara para caso alguma coisa dê errado no meio do caminho.

A coisa mais fácil do mundo é desanimar diante do primeiro imprevisto. E posso ser sincera? Também é o maior erro do mundo. Uma desculpa pequena vai levando a outra e quando você menos espera, a coisa vira uma bola de neve e você mesma acaba babando sua viagem.

Eu era assim até passar por essa experiência. Relutava em viajar para a Europa porque não falo espanhol, nem italiano, e muito menos grego. Até que criei coragem e comprei um cruzeiro de 8 dias com a Cays Turismo, por alguns países europeus. Em cima do itinerário montei meu roteiro, até que na véspera descobri que o horário de um dos vôos mudou, comprometendo uma cidade que eu queria muito visitar, Treviso.

Na hora de embarcar no cruzeiro, houve um super imprevisto em Veneza que impediu que o navio atracasse no porto… a visibilidade estava muito baixa em razão da neblina e o navio teve que parar em uma outra cidade, a 2 horas de distância. E lá fomos nós, nos deslocar até Trieste para poder embarcar.

Nessas horas, dois resultados podem acontecer: você pode começar a desanimar e pouco a pouco estragar a viagem ou fazer algo a respeito e transformar algo ruim em bom. O que eu fiz?

Ao invés de ficar triste, resolvi me apegar à positividade e permitir que outras oportunidades entrassem no meu roteiro, me adaptar. Graças à mudança do vôo pude conhecer uma cidade incrível que é Madri. Passei a manhã inteira visitando os pontos turísticos (e olha que dei o maior azar de ser feriado, peguei praticamente tudo fechado!), tentando aprender um pouco mais sobre Madri e como foi bacana! Se Veneza tivesse acordado ensolarada e sem neblina, eu não teria conhecido uma cidade portuária linda chamada Trieste, nem as estradas de dar inveja da Itália.

Mesmo sem falar as línguas dos países que visitei, mesmo com todas as dificuldades que passei, sempre tinha alguém disposto a ajudar porque a nossa postura foi positiva.

Imprevistos podem acontecer sempre, seja nos preparativos do casamento, seja durante a viagem que você passou o ano sonhando e você precisa estar disposta a se adaptar, filtrar o que foi ou poderá ser bom. A negatividade deve dar lugar à positividade e você não pode nunca se fechar à novas oportunidades para viver! Lembre-se sempre: a vida é muito curta para perder tempo lamentando o que poderia ter sido. Se tudo não der certo, não desanime, faça algo a respeito!

Estou fazendo um diário de viagem lá no stories do @noivadodiaoficial. Corre que os vídeos só duram 24h!

Deixe seu comentário

Os comentários serão moderados.

Siga no instagram @noivadodiaoficial

Juliana Nascimento
Ju Nascimento

Sou a Ju Nascimento, workaholic, advogada, rumo ao quarto ano de casada com meus 28 anos bem vividos (apesar de me considerar uma eterna noivinha). Enquanto algumas mulheres são viciadas em bolsas, sapatos, roupas, esmaltes e cartão de crédito, eu sou completamente viciada em casamentos! LEIA MAIS